O que pode ser reciclado

O Condomínio Joia da Barra separa seu lixo, enviando uma parte para a reciclagem, conforme vimos em matéria sobre o assunto. Os valores arrecadados são utilizados no final do ano, transformados em cestas básicas distribuídas aos seus funcionários.

Para evitar dúvidas, relacionamos os materiais que podem e os que não podem ser reciclados:

Vidros

Pode: garrafas, frascos de molhos, potes de produtos alimentícios, frascos de remédios,, perfumes e produtos de limpeza, cacos de qualquer das embalagens acima.

Não pode: espelhos, vidros de janela e box de banheiro, vidros de automóvel, cristal, lâmpadas, formas e travessas de vidro temperado, ampolas de remédio.

Plásticos

Pode: potes de todos os tipos, embalagens de detergente, xampu, água sanitária,, material de limpeza,  tampas de todos os tipos, sacos de alimentos.

Não pode: celofane, espuma, embalagens a vácuo, fraldas descartáveis.

Metal

Pode: latas de bebidas e alimentos, tampas de garrafas de bebidas, conservas, arames, grampos, fios, pregos, marmitex, tubos de creme dental, alumínio, cobre e outros metais.

Não pode: pilhas normais e alcalinas (há locais específicos para depositar esse tipo de material, que não deve ser depositado no lixo comum), filtros de ar, latas enferrujadas.

Papel

Pode: jornais, revistas, caixas de papelão, papéis em geral.

Não pode: papel higiênico, guardanapos com comida, copos siliconizados, papel laminado, papéis plastificados, embalagem de biscoito, papel carbono.

Muita atenção:

O lixo, depois de separado, deve ser colocado na área restrita onde fica a lixeira de cada andar, embalado por tipo de material. Jornais sujos e lixo orgânico devem ser colocados imediatamente no tubo coletor. A imagem mostra claramente o que NÃO deve ser feito. Podemos ver embalagens com jornais que, possivelmente, foram usados por animais e estão sujos de fezes e urina. Os ratos gostam de ambientes assim e sobem pelos dutos coletores com facilidade. Então, além de não deixar lixo espalhado, a porta da lixeira deve ser mantida sempre fechada.

Isto não é reciclagem:

Reciclagem do lixo no Joia da Barra

As latinhas de cerveja, jornais, garrafas pet ou embalagens de papelão são separados diariamente do nosso lixo e disponibilizados para reciclagem. Vamos fazer uma visita, acompanhados pelo Wallace, ao setor de reciclagem do Joia da Barra. A partir de agora, ao jogar o lixo fora, que tal facilitar o trabalho separando as embalagens por lixo orgânico, que não é reaproveitável no momento (poderíamos produzir compostagem e ter adubo para a nossa horta), latas, garrafas, jornais, papelão, ferro, óleo de cozinha, etc?

 

Tudo que arrecadamos com a venda do nosso lixo é transformado em cestas básicas, distribuídas aos funcionários por ocasião do Natal.

Iluminar com economia

Economizar é o objetivo de todos, pessoas e empresas, que não se conformam com o desperdício. Lâmpadas e aparelhos elétricos que consomem muita energia são substituídos por outros, mais econômicos, que fazem o mesmo serviço, e muitas vezes até melhor, gastando bem menos.

A substituição das lâmpadas é o primeiro passo.

As lâmpadas incandescentes, as mais antigas, consomem muita energia. São lâmpadas de baixa eficiência, ou seja, gastam muita energia para produzir muito calor e pouca luz. Apenas 5% da energia elétrica consumida é transformada em luz. O restante é transformado em calor. Estão sendo substituídas pelas lâmpadas fluorescentes.

As lâmpadas fluorescentes são as mais indicadas para uso comercial e residencial. Gastam pouca energia e geram mais luz do que calor. Existem lâmpadas fluorescentes de diversas cores, além da branca azulada, a mais comum, e da amarelada, que simula a lâmpada incandescente a que já nos acostumamos.

Além dessas, as lâmpadas LED´s – Lighting Emitted Diodes são as mais modernas.

“Consideradas as lâmpadas mais modernas – produto de última tecnologia. Convertem energia elétrica diretamente em energia luminosa, através de pequenos chips. É um produto ecologicamente correto, pois seu consumo de energia é muito baixo e apresenta uma vida extremamente longa; utilizam baixa tensão de rede (10v ou 24v), logo necessitam de transformadores para converterem a energia. Devido a alta eficiência e ao baixo consumo estão substituindo as lâmpadas fluorescentes no uso residencial.” (Clique Arquitetura)

Há muitos outros tipos de lâmpadas, menos usadas, como as halógenas, que também são incandescentes mas possuem halogêneo, lâmpadas de descarga, lâmpadas de neon e lâmpadas de fibra ótica.

E você, já está usando lâmpadas mais econômicas?

Nosso condomínio já substituiu as lâmpadas incandescentes pelas fluorescentes. É o primeiro passo até a substituição completa por lâmpadas de LED’s. Nos corredores, assim como nas lixeiras e escadas, há sensores de presença que ativam a iluminação somente quando necessário, na presença de pessoas e por determinado período de tempo.