Frequentando a piscina

Nesta época do ano, com as férias escolares e o verão registrando temperaturas bastante elevadas, nada mais natural que os moradores do Jóia da Barra procurem a piscina do Condomínio para se refrescar e passar algumas horas agradáveis com a família, amigos e vizinhos. O local é bastante frequentado, principalmente pelas nossas crianças. Algumas regras devem ser obedecidas para cumprir exigências legais de saúde e segurança, permitindo o acesso apenas a quem tem direito e garantindo a integridade de todos.

A piscina só pode ser frequentada por pessoas autorizadas, devidamente identificadas pela carteirinha fornecida pela Administração, com o exame médico em dia.

O Guardião da Piscina, responsável pela segurança dos frequentadores, deve cumprir o que lhe foi determinado pela Administração, só permitindo a entrada de quem estiver de posse do documento de autorização. O Guardião cumpre ordens, segue leis e regulamentos. Facilitar a vida de alguém que esteja irregular, permitindo seu acesso na área restrita, será falta grave e poderá colocar em risco a saúde e segurança de todos.

piscina

Percebe-se, então, que o Guardião cumpre ordens da Administração. Seu salário, embora seja pago pela contribuição de todos os condôminos através das cotas condominiais, não dá a qualquer morador o direito de dar ordens, ditar normas e atrapalhar o seu trabalho. No caso de qualquer divergência, o morador deve procurar a Administração, registrando sua reclamação no livro apropriado.

Além de fiscalizar a entrada dos frequentadores, o Guardião tem outras atribuições. A principal delas é estar sempre atento ao que acontece dentro d’água, evitando possíveis afogamentos. Esta é a principal tarefa e a sua atenção não pode ser desviada por outros assuntos.

A grande maioria daqueles que frequentam a piscina entende que somente com o cumprimento de regras e regulamentos se consegue viver em harmonia, respeitando o direito de cada um. Aos que insistem em não aceitar as regras da convivência, lamentamos profundamente não poder apoiar seus atos, por mais justificados que possam parecer.

Na piscina, o Guardião é a autoridade máxima,

sendo responsável direto pela segurança dos frequentadores.

Suas orientações devem ser acatadas por todos.