O sistema lagunar de Jacarepaguá

Fotos de Mario Moscatelli (Biólogo)

O trabalho do biólogo Mario Moscatelli em defesa da natureza carioca é antigo. Há alguns anos recuperou o manguezal da Lagoa Rodrigo de Freitas. Mas não foi apenas isso. A baía da Guanabara é alvo de seu trabalho e denúncias frequentes.

Quem o acompanha pelo Facebook (Mario Moscatelli) vê imagens do Rio a que não estamos acostumados. Visto do alto, o Rio de Janeiro mostra o estrago que a poluição vem fazendo nas nossas praias, baías e lagoas.

Vivemos às margens do sistema lagunar de Jacarepaguá. Suas águas não conseguem eliminar tanto esgoto e mostram toda a sua feiura. As lagoas, já sem vida, estão agonizando.

Estas são imagens e textos de Mário Moscatelli. Será que ainda há tempo para se fazer alguma coisa?

DA SÉRIE O FIM DO MUNDO
SISTEMA LAGUNAR DE JACAREPAGUÁ – século XXI

O Sertão Carioca de 1936 do Magalhães Correia virou a lata de lixo e latrina do século XXI na cidade olímpica. Tem projeto, tem dinheiro onde a cada nova apresentação pública o valor aumenta (último valor ficou em 640 MILHÕES DE REAIS) e até agora NADA! É bom ficar de olho pois esse dinheiro acaba desparecendo para outra finalidade mais interessante e nós acabamos ficando com cinco latrinas (lagoas) rasas, assoreadas onde no próximo temporal nos será cobrada a fatura!” (Mario Moscatelli)

Lagoa de Jacarepaguá
Lagoa de Jacarepaguá, com a grande área do antigo autódromo.
Praia da Barra da Tijuca
Toda essa água poluída acaba no mar. Mesmo assim, não há tempo para renovação.
Lagoa de Jacarepaguá
Ponto de lançamento de esgotos, perto do Condomínio Rio 2 e Hospital da Rede Sarah

 Moscatelli03

Moscatelli02

Moscatelli01

Esta é a Estrada velha da Barra, construída em 1918. Hoje em dia é conhecida como Estrada do Itanhangá. Essa foto aí é da década de 20.
Esta é a Estrada velha da Barra, construída em 1918. Hoje em dia é conhecida como Estrada do Itanhangá. Essa foto aí é da década de 20.